INICIAL

Depauleios - por Paulo Roberto

"Nunca é só um jogo quando você está ganhando"
paulo@controversas.com

Blumenau parou. E não foi hoje, nem por causa da greve


Como era esperado, anunciado e sabido, os terminais de ônibus urbanos de Blumenau devem amanhecer vazios. Não, vazios, não: com viaturas da Polícia Militar.

Mais um ano, e mais uma vez, as empresas concessionárias, ops, esqueci. Elas se juntaram e agora se chamam Consórcio Siga! De resto, tudo continua igual: negociações enroladas, não aceitam conceder benefícios mínimos aos seus trabalhadores e trabalham para que a sua intransigência negocial seja a vontade suprema.

Mas, algumas questões me incomodam até mais do que a falta de negociação dos empresários do setor. Vou enumerar algumas:

1. Porque diabos a Polícia Militar toma conta dos terminais? Juro que eu não entendo…

– Se os terminais são espaços privados, administrados (e geram lucro única e exclusivamente para) pelo Consórcio Siga.

– Se não há nenhuma lei, liminar ou alguma ordem judicial sendo infringida.

– Se não há nenhum “dano e confronto”, como o Seterb divulga querer evitar.

– Se a Polícia Militar existe para trabalhar PARA O CIDADÃO, e não CONTRA O CIDADÃO.

2. Se a Polícia Militar não tem efetivo para atender satisfatoriamente as ocorrências policiais (quem já discou 190, entende…), porque sobra efetivo para “desfilar” nas greves?

3. Se o Consórcio Siga, apesar de não haver nenhuma ameaça iminente ao seu patrimônio, está inseguro, porque não contrata segurança particular?

4. Porque não há vigilância para evitar os furtos e golpes que fazem parte do dia-a-dia dos terminais de ônibus de Blumenau, mas nunca falta quando os terminais estão vazios por causa da greve?

5. Porque ninguém fiscaliza os mal-educados que fumam nos terminais, mas chamam a polícia porque os trabalhadores decidiram que farão greve?

6. Porque o Seterb não cobra publicamente do Consórcio Siga a manutenção do serviço público, ainda que numa porcentagem mínima legal de funcionamento, já que é ele quem assinou o contrato de prestação de serviço? Porque tentam atribuir ao Sindetranscol a responsabilidade de trabalhar durante a greve, se o Sindicato é uma organização dos trabalhadores, não lucra milhões com isso, nem tem responsabilidade pela prestação do serviço?

7. Porque o vereador Marcelo Schrubbe apresenta um projeto de lei que acaba com a função dos cobradores na cidade justamente durante uma negociação coletiva da categoria? Qual é o seu interesse no assunto? Ele deve prestar contas com o cidadão ou com o Consórcio Siga, afinal?

8. Qual é o “crime” cometido por um grupo de trabalhadores que se organiza para negociar com o seu patrão um aumento em seus salários e direitos, como o de passar UM final de semana em casa por mês?

9. Segundo o Seterb, a “ameaça” é comprovada pelo registro de “cinco boletins de ocorrência por depredação de ônibus“. Em que período aconteceram essas “depredações”? Ontem? Essa semana? No último ano? Nos últimos dez anos? O Sindetranscol, ou algum dirigente, funcionário ou apoiador da greve ou de outras greves foi responsabilizado ou acusado por estes fatos? Os danos aconteceram nos terminais, nas garagens ou na rua? Se alguma depredação aconteceu na rua, é possível que essa rua não tenha mais linhas de ônibus, “por medida de segurança”?

10. Como faço para solicitar policiamento 24h em frente a minha residência, já que há uma lei que proíbe um hipotético ladrão de entrar nela e subtrair coisas, e há a chance disso acontecer?

11. Porque a imprensa blumenauense nunca entrevista nenhum trabalhador em greve, mas cansa de entrevistar velhinhas que queriam passear, mas não vão? Quem tem interesse em só mostrar um lado da greve (o do Consórcio Siga)?

12. Se o Seterb, que tem a função de FISCALIZAR a prestação de serviços do Consórcio Siga aparece mais defendendo a empresa do que fiscalizando? Será que isso é somente um erro na estratégia de marketing, ou é uma diretriz de gestão?

13. Porque o Seterb não se manifesta sobre a idade (avançada é pouca, se fosse no futebol, os ônibus já estariam em impedimento!) e estado de conservação dos veículos, que acumulam poeira até chover, quando contam com cascatas internas?

14. Se o Seterb é considerado representante dos usuários e do cidadão blumenauense na negociação das tarifas sobre o serviço, como pode ser titular de ações judiciais a favor da empresa e contra associações de consumidores?

15. QUEM acionou a Polícia Militar sem que houvesse qualquer ameaça de distúrbio? O Consórcio Siga? O Seterb? Algum usuário que se sentiu ameaçado pelo aviso de greve?

16. QUEM ordenou o deslocamento de tamanho efetivo para proteger propriedades particulares que não correm risco algum

17. QUEM indenizará o Estado pelo “aluguel” dos funcionários públicos?

 

Por último, uma pergunta que resume o caos sobre o serviço de transporte coletivo de Blumenau:

 

- Porque os engravatados que tomam as decisões sobre

o transporte coletivo não andam de ônibus?


Produzido em WordPress | Por: Giovanni Ramos